CarbonWASHING: “Lavagem de carbono” o que é e como evitar

Apesar da maior atenção e incentivos de capital em torno da sustentabilidade corporativa, o desenvolvimento de padrões de relatórios de sustentabilidade e sistemas de monitoramento tem progredido em um ritmo lento.

Como resultado, as empresas têm incentivos desalinhados para deliberada ou seletivamente comunicar informações que não correspondem aos impactos ambientais reais ou fazer promessas amplamente infundadas em torno de ambições futuras. Esses incidentes são amplamente chamados de “lavagem verde”  Greenwashing, mas não há um consenso claro sobre sua definição e taxonomia.

Prestamos atenção especial à ameaça de lavagem verde em relação às reduções de emissão de carbono ao cunhar um novo termo, Carbonwashing: “lavagem de carbono”.

Visto que a mitigação de carbono é a meta universal, a cadeia de fornecimento de dados de desempenho de carbono corporativo é relativamente mais avançada do que todo o cenário de dados de sustentabilidade.

No entanto, a ameaça da lavagem do carbono persiste, ainda mais severa do que a lavagem verde em geral, devido aos valores financeiros vinculados ao desempenho corporativo do carbono. 

O aumento nas promessas climáticas e metas de redução de carbono zero trouxeram muita atenção para a confiabilidade dos dados de carbono.

A demanda e os gastos com dados de carbono têm sido particularmente altos em finanças sustentáveis ​​e investimentos ESG, que consistem em vários produtos financeiros, estratégias e iniciativas que levam a mitigação de carbono em conta, garantindo o investimento em ‘verde’, ‘sustentável’ ou ‘ESG’ de empresas alinhadas (Chasan, 2020).

No entanto, os padrões atuais de relatórios de carbono e regulamentos relacionados não são suficientemente inclusivos para levar as empresas a se mobilizarem de forma mais eficaz por trás da transição energética de baixo carbono e metas econômicas de zero carbono.

As empresas se envolvem em vários esforços de descarbonização, tanto regional quanto globalmente, mas a maioria deles não foi totalmente incorporada às atuais estruturas de relatórios de carbono ou estratégias de avaliação alinhadas ao clima.

Esses critérios de impacto incompletos não estão fornecendo incentivos adequados para as empresas alinharem seus dispêndios de capital (CAPEX) e despesas operacionais (OPEX) com objetivos de crescimento sustentável de longo prazo ou se tornarem ativas além de suas próprias atividades de negócios.

Conforme evidenciado pelas muitas estruturas, a avaliação do desempenho corporativo do carbono constitui um empreendimento complexo. 

Devido às diversas maneiras pelas quais as empresas podem comunicar seu desempenho, pode ser um desafio diferenciar a lavagem com carbono de comunicação ambiental genuinamente sincera.

O problema central diz respeito à natureza principalmente antecipatória da maioria dos relatórios de dados de carbono, o que significa que o foco da maioria das divulgações relacionadas ao clima mudou de dados de desempenho reais para objetivos de desempenho teóricos.

Por exemplo, as empresas costumavam relatar suas reduções de emissões de carbono em comparação com uma linha de base estabelecida, mas agora estão mais focados sobre a promoção de metas de redução de carbono.

A lacuna entre as reivindicações de descarbonização corporativa e as ações tangíveis aumentou.

A maioria dos mercados de capital corporativo ainda depende principalmente de dados não auditados, não verificados e em grande parte relatados pelos próprios para preencher essas lacunas de informação. 

Devido à ausência de processos de validação rigorosos, os incentivos para buscar estratégias de “baixo risco/alto retorno” relacionadas à desinformação não diminuíram substancialmente.

A lavagem do carbono representa uma falha de divulgação sistêmica em nível de mercado e externalidade negativa que impacta empresas, partes interessadas e a sociedade em geral de maneiras materialmente significativas.

Os dados de carbono baseados principalmente em antecipação de impacto teórico em oposição a reduções de carbono concretas tornariam a modelagem de vias de transição alinhadas por Paris altamente não confiáveis.

Tenha certeza das informações dos seus relatórios de ESG, conte com a Eccaplan para efetuar uma avaliação com a segurança e rastreabilidade necessária.

A Eccaplan Consultoria em Sustentabilidade, desenvolveu os programas de ação e educação contra as mudanças climáticas, Programa de Gestão de Resíduos Sou Resíduo Zero, Programa Evento Neutro, CO2 Neutro e o Frete Neutro. Estes programas consistem em quantificar e compensar o impacto ambiental de empresas, produtos, shows, feiras, eventos corporativos, entre outros.

Todos esses projetos apoiam Projetos Ambientais e Sociais, certificados conforme metodologias definidas pelo Protocolo de Kyoto.

Se quiser saber mais sobre o assunto, entre em contato e entenda como podemos te ajudar. 

Carbono Zero

Conteúdo:

Me Thays do Nascimento

Marketing Eccaplan

thays@eccaplan.com.br

Fonte:

Fonte:In, S. Y., & Schumacher, K. (2021). Carbonwashing: A New Type of Carbon Data-related ESG Greenwashing. Available at SSRN.

Acordo Amazônia Aquecimento Global Bicicleta Brasil Carbono Ciclovia Clima CO2 COP21 Desenvolvimento Sustentável Desmatamento Efeito Estufa Emissões Emissões de GEE Energia Energia Eólica energia limpa Energia Renovável Energia Solar GEE Iniciativa Inovação inventário de emissões Lixo Meio Ambiente Mobilidade Mudanças Climáticas Mundo neutralização de carbono Noticias Notícia ODS ONU Poluição Reciclagem Rio de Janeiro Sou Resíduo Zero sustentabilidade São Paulo Tecnologia Telhado Verde Transporte Sustentável Água Árvores